IV Encontro Interinstitucional de Atendimento Psicológico à Queixa Escolar (2013)

Nas duas últimas décadas, a Psicologia Escolar e Educacional tem avançado significativamente na compreensão dos processos de produção das queixas escolares, assim como na construção de propostas de intervenção realizadas em serviços-escola de Psicologia e demais equipamentos de atenção em saúde mental.

Tais avanços derivam da consideração do homem como ser social, que se humaniza no pertencimento a grupos e instituições, como a escola, o que indica caminhos a serem trilhados. Entre eles, destaca-se a necessidade de estudos mais aprofundados das dinâmicas institucionais, da participação da escola na construção dessas queixas, assim como o reconhecimento da relação de mútua constituição indivíduo-sociedade.

A realidade das instituições de ensino de Psicologia, no entanto, evidencia que tais conhecimentos não têm implicado, de modo geral, em práticas de atendimento que superem a abordagem tradicional de diagnóstico psicométrico e atendimento de cunho individualizante e positivista.

Para debater questões como essas, o Grupo Interinstitucional Queixas Escolares (GIQE), formado por profissionais de diversas instituições, realizaram o I, o II e o III Encontros de Atendimento Psicológico à Queixa Escolar ocorridos, respectivamente, em Março de 2004, Abril de 2005 e Novembro de 2006. Dando prosseguimento às discussões, será realizado o IV Encontro de Atendimento Psicológico à Queixa Escolar.

Este evento tem como objetivo geral conhecer, discutir e construir novas práticas de atendimento psicológico à queixas escolares que considerem a dimensão social do acontecer humano.

Destina-se a psicólogos e profissionais de Saúde e Educação implicados no atendimento às queixas escolares e ocorrerá nos dias 03 e 04 de maio de 2013, na Universidade São Judas Tadeu, em São Paulo, Capital.

Local do Evento: Universidade São Judas Tadeu - Campus Mooca - Anfiteatro do Térreo Endereço: R. Taquari, 546 - Mooca - São Paulo - Tel: 2799.1831

PROGRAMAÇÃO

03/05 (SEXTA)

04/05 (SÁBADO)

19h00 - Atividade cultural - Música em Família

19h30 – Abertura

20h00 – Mesa de Abertura

9h00 às 12h00 - Grupos de Discussão (G.Ds) - 1 a 11

12h00 às 13h30 - Almoço

13h30 às 15h30 - Mesa-redonda

15h30às 16h30 - Plenária

16h30 às 17h00 – Encerramento

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

03/05 (SEXTA)

04/05 (SÁBADO)

19h00 – Atividade cultural

19h30 – Abertura

20h00 - Mesa de abertura

“Medicalização da Educação e atuação do psicólogo junto às queixas escolares”

Profa. Dra. Marilene Proença Rebello de Souza (Universidade de São Paulo) e Profa. Dra. Maria Aparecida Affonso Moysés (Universidade Estadual de Campinas)

9h00 às 12h00 – Grupos de Discussão (G.Ds):

G.D 1 – “Humilhação social” – Prof. Dr. José Moura Gonçalves Filho (Universidade de São Paulo) (ESGOTADO)

G.D 2 – “Racismo e escolarização” – Prof. Ms. Antonio Carlos Malachias (Secretaria Municipal da Educação de São Paulo)

G.D 3 – “Educação Inclusiva e Crianças com Transtornos Globais de Desenvolvimento (TGD)” – Profa. Ms. Deborah Sereno (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e convidados (ESGOTADO)

G.D 4 – “Bullying” – Profa. Dra. Carla Biancha Angelucci (Universidade Presbiteriana Mackenzie) (ESGOTADO)

G.D 5 – “Produções escolares e atendimento às queixas escolares” – Profa. Dra. Anabela Almeida Costa e Santos Peretta (Universidade Federal de Uberlândia) (ESGOTADO)

G.D 6 – “Educação e interfaces na Assistência Social” – Psicóloga Kelly Regina Sobral (Centro de Referência em Assistência Social – Osasco)

G.D 7 – “Intervenção junto a educadores” – Prof. Dr. Luis Antônio Gomes Lima (Universidade São Judas Tadeu)(ESGOTADO)

G.D 8 – “Adoecimento docente” – Profa. Dra. Renata Paparelli (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

G.D 9 – “Violência doméstica e queixas escolares” – Psicóloga Alecxandra Mari Ito (Serviço Psicossocial da Proguaru e Apoio Psicopedagógico da Faculdade ESPA) (ESGOTADO)

G.D 10 – “Uma outra escola é possível?” – Dra. Helena Singer (Associação Cidade Escola Aprendiz) e Psicóloga Carla Lam (Núcleo de Estudos em Saúde Mental e da Psicanálise das Configurações Vinculares) (ESGOTADO)

G.D 11 – “Documentos escritos do psicólogo” – Profa. Dra. Adriana Marcondes Machado (Universidade de São Paulo) (ESGOTADO)

13h30 às 15h30 - Mesa-redonda “Políticas públicas em Educação e Saúde: subsídios para atendimento psicológico às queixas escolares” – Profa. Dra. Mitsuko Aparecida Makino Antunes (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e Profa. Dra. Ianni Regia Scarcelli (Universidade de São Paulo)

:

15h30 às 16h30 – Plenária

16h30 às 17h00 – Encerramento

Resumo dos Grupos de Discussão

Grupo de discussão 1: “Humilhação social” – Prof. Dr. José Moura Gonçalves Filho (Universidade de São Paulo) (ESGOTADO)

Neste grupo pretendemos cumprir três principais tarefas de discussão: 1) a descrição de casos que assinalam o problema da humilhação social; 2) a determinação do problema como um problema psicológico (humilhação e angústia); 3) a determinação do problema como um problema político (humilhação social e dominação).

Grupo de discussão 2: “Racismo e escolarização” – Prof. Ms. Antonio Carlos Malachias (Secretaria Municipal da Educação de São Paulo)

Refletir a temática das Relações Étnico-Raciais em perspectiva escolar e educacional dialogando com as Diretrizes Curriculares Nacionais, instrumento legal instituído para orientar a execução da abordagem dessa temática. As Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação das Relações Étnico-Raciais problematizam criticamente as desigualdades sociais e étnico-raciais sugerindo conceitos e conteúdos a serem abordados em ambiente escolar.

Grupo de discussão 3: “Educação inclusiva e crianças com transtornos globais do desenvolvimento” – Profa. Ms. Deborah Sereno (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) (ESGOTADO)

A educação inclusiva é uma mudança de paradigma e isto envolve mudanças nos modos de ver, pensar e de agir. A inclusão de crianças com TGD nas salas de aulas regulares nos mostrou a importância de mudarmos de paradigma: de passar de um modelo do dano para o desafio, da patologia para a resiliência. Mostrou também a importância da criação de novos dispositivos para o trabalho na sala de aula e de articulação saúde- educação.

Grupo de discussão 4: “Bullying” – Profa. Dra. Carla Biancha Angelucci (Universidade Presbiteriana Mackenzie) (ESGOTADO)

É costumeiro, em situações escolares que, na ausência de adultos, as crianças encenem as relações as relações que conhecem. Sabemos também que crianças, quando longe do referencial adulto, relacionam-se, muitas vezes, fora dos padrões civilizatórios, ou seja, sem mediação ou reflexão. Assim, como pensar o tipo de relação que as crianças têm entre si e que vem sendo nomeada como bullying?

Grupo de discussão 5: “Produções escolares e atendimento às queixas escolares” – Profa. Dra. Anabela Almeida Costa e Santos Peretta (Universidade Federal de Uberlândia) (ESGOTADO)

Muitas são as produções e os registros realizados nos contextos escolares. Atividades desenvolvidas, correções dos professores, castigos, comunicações entre família e escola. O que revelam estes materiais? Como podem auxiliar na compreensão e intervenção junto às queixas escolares? Este Grupo de Discussão tem a proposta de apresentar reflexões sobre como as diversas produções escolares podem contribuir na Orientação à Queixa Escolar.

Grupo de discussão 6: Educação e interfaces na Assistência Social” – Psicóloga Kelly Regina Sobral (Centro de Referência em Assistência Social – Osasco)

Neste grupo pretende-se apontar o papel da assistência social em tornar o destinatário da ação socioassistencial alcançável por uma política de educação que garanta o acesso e permanência do aluno em uma escola democrática e de qualidade. Para tanto, defende-se uma atuação dentro do CRAS de estímulo a consciência crítica e de incentivo ao protagonismo de pais e alunos no universo escolar. Também se aponta a queixa escolar como fator gerador de vulnerabilidade social, exigindo um olhar interdisciplinar entre assistência social e educação.

Grupo de discussão 7: “Intervenção junto a educadores” – Prof. Dr. Luis Antônio Gomes Lima (Universidade São Judas Tadeu) (ESGOTADO)

O eixo das discussões converge para a posição subjetiva dos professores frente ao seu trabalho de formação de crianças e adolescentes. Para tanto, o resgate da escolha profissional, em termos do seu sentido e de como ela toca o desejo de cada professor, a concepção de criança e adolescente no processo de escolarização e a trajetória de formação na área, serão temas a serem revisitados, no contexto de políticas públicas em educação que acabam por deixar à deriva as escolas e as pessoas que a compõem.

Grupo de discussão 8: “Adoecimento docente” – Profa. Dra. Renata Paparelli (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

O fracasso escolar de crianças e adolescentes vivido por uma grande parte dos estudantes das camadas populares no Brasil é um fenômeno complexo que pode ser estudado a partir de diversos olhares. Abordaremos essa questão focalizando um aspecto essencial: o sofrimento psíquico de docentes que vem se intensificando no interior de políticas de regularização do fluxo escolar que erradicam índices de reprovação e evasão, mas não constróem condições suficientes para a promoção do sucesso escolar.

Grupo de discussão 9: “Violência doméstica e queixas escolares” – Psicóloga Alecxandra Mari Ito (Serviço Psicossocial da Proguaru e Apoio Psicopedagógico da Faculdade ESPA) (ESGOTADO)

A violência doméstica é uma realidade presente, não somente nos noticiários, mas também no cotidiano de muitas das famílias que acompanhamos nas escolas. É um fator que não pode ser desprezado ou ignorado nos atendimentos clínicos a queixas escolares. Além disto, precisamos considerar e entender as relações entre situações de violência e o fracasso escolar.

Grupo de discussão 10: “Uma outra escola é possível?” – Dra. Helena Singer (Associação Cidade Escola Aprendiz) e Psicóloga Carla Lam (Núcleo de Estudos em Saúde Mental e da Psicanálise das Configurações Vinculares) (ESGOTADO)

Quando almejamos o sucesso da educação temos pressupostos do que é infância, família, escola etc. Essas fazem parte da sociedade que está em constante transformação, por isso também elas se transformam. A história da criança no Brasil é rica em sua diversidade. Resgatar essa história nos permite refletir sobre nossas possibilidades e enriquecer a infância. Já temos várias experiências com a escola democrática no Brasil, revelando a importância da educação ser um espaço integrado à cultura e ao desenvolvimento da sua comunidade, assim cada escola deve ter autonomia para uma identidade própria.

Grupo de discussão 11: “Documentos escritos do psicólogo” – Profa. Dra. Adriana Marcondes Machado (Universidade de São Paulo) (ESGOTADO)

Apresentaremos algumas discussões acerca dos relatórios escritos a serem entregues para os profissionais das instituições de ensino que encaminham alunos para serem avaliados pela psicologia. Denominamos esses escritos de cartas-relatórios e eles têm os desafios de analisar a construção da demanda e ser uma estratégia micropolítica para intervir na produção de alguns acontecimentos do cotidiano institucional.

Voltar ao topo

© 2017 Grupo Queixa Escolar · Login